Os polihidroxiácidos (PHA) - gluconolactona, ácido lactobiónico...




Os polihidroxiácidos são um grupo de moléculas hidrossolúveis, que por terem um alto peso molecular exfoliam a pele de forma eficaz, mas suave. Por serem compostos por moléculas maiores, não penetram tão profundamente na pele o que faz com que o risco de irritação seja mais baixo que com os AHA. Exfoliam principalmente a camada mais superficial da pele, também denominada por estrato córneo. Por a sua exfoliação ser tão suave, são inclusivamente adequados para pessoas com pele sensível e mesmo com rosácea, ajudando a melhorar com a textura de pele irregular.



Não só são exfoliantes suaves, mas também são humectantes, o que significa que atraem a água para a pele o que previne a desidratação, muito à semelhança do ácido hialurónico, da glicerina e dos péptidos. A diferença entre PHA e os outros humectantes é que os primeiros também conseguem desempenhar um papel exfoliante, na camada mais superficial da pele, quebrando as ligações entre as células mortas da superfície da pele, contribuindo para a sua eliminação.


Por este motivo são muito interessantes para usar em produtos que fiquem na pele, como serúns, cremes hidratantes e até protetores solares.


Os AHA têm sido utilizados em dermatologia há imensos anos, os polihidroxiácidos são compostos relativamente recentes, mas que têm vindo a ganhar interesse por no tratamento de alguns problemas de pele.


Os PHA mais conhecidos são o ácido lactobiónico, o acido maltobiónico e o ácido glucónico ou gluconolactona (ácido glucónico, gluconato de zinco ou gluconato de cobre).


Como já referi, são ótimos para esfoliar a pele de forma suave, por removerem as células mortas da superfície da pele, têm ainda propriedades despigmentantes, removendo alguma pigmentação superficial (manchas), lentigo solar (ver artigo). Pode ainda melhorar a firmeza cutânea e a textura da pele. Isto significa uma pele mais luminosa, firme, com menos irregularidades texturais.


No entanto, os PHA, mesmo sendo compostos por moléculas com elevado peso molecular, podem apresentar risco de irritação cutânea. Pelo que se deve começar sempre: fazendo patch test e com baixas concentrações, e baixa frequência, ser o único ativo novo a introduzir na rotina, especialmente em peles sensíveis.




Uma das vantagens dos PHA relativamente aos AHA, é que os PHA não aumentam a sensibilidade cutânea decorrente da exposição solar. Uma outra vantagem é que podem ser combinados com outros ingredientes ativos e prescrições médicas tópicas. Podem ser usados como anti-envelhecimento, como despigmentantes e como exfoliantes. Podem inclusivamente ser combinados com AHA, no entanto, é preciso que ter em atenção que ao combiná-los o risco de irritação, secura e exfoliação aumenta. Cada pele é única a reagir a ingredientes ativos é sempre aconselhável cautela.


Deixo-te algumas sugestões de produtos:


Creme


Neostrata bionic face cream (10 PHA)

Gluconolactona













LaRoche Posay cicaplast B5

Gluconato de zinco, gluconato de cobre














Gel

Benton - PHA Peeling Gel


Ácido lactobiónico











Serúm


COSRX - Triple Hyaluronic Moisture Ampoule


Gluconolactona













Bruma


COSRX - Low pH PHA Barrier Mist

Gluconolactona














Tónico


Benton - PHA Peeling Toner

Ácido lactobiónico 3%














Subscreve e segue-me nas outras redes sociais.

Instagram

Blog

YouTube

7 visualizações0 comentário
  • Instagram - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Pinterest - Black Circle

© 2020 ASOFIAGOMES.COM

 Design And Development By Dreamaker Company

Aqui no A Sofia Gomes podes encontrar dicas de beleza, lifestyle, tarot, fitness e muito muito mais. 
infoasofiagomes@gmail.com